Skip to content

As Origens Reptilianas do Povo Judeu

As fotos acima são de uma estatueta reptiliana encontrada em tumbas do povo Ubaid que vivia onde hoje é o actual Iraque. A estátua remonta a 4000 aC., tempo que os judeus reivindicam ser sua origem. Povos gentios remotam muito mais antigamente do que isso. Sabemos que houve uma “Guerra nos Céus” (lá fora) e nosso lado (o de Satan) perdeu. Qualquer um que possa identificar um judeu por suas características sabe que eles se assemelham com alienígenas reptilianos. Isto pode soar estranho e ridículo, mas se as pessoas estudarem e olharem com os olhos abertos, verão isso.

O maior equívoco que as pessoas têm é de que os judeus sejam uma religião. Eles NÃO são. Eles são uma raça. Eles são muitas vezes reconhecidos por seus grandes narizes, mas suas orelhas e seu lábio inferior proeminente entre outras características são o que lhes acusa. Não se pode dizer isso sobre um protestante, um católico ou qualquer outra religião. A doença de Tay-Sachs dá apenas em judeus. Doenças não atacam membros de uma religião, elas são raciais. A lista de doenças raras e bizarras que os judeus são hospedeiros é interminável. A doença do homem elefante é uma delas.

“Aqueles que se opõem a mim eu flagelo com a doença.” – Satan

Judeus carregam um gene reptiliano que é alien e é isso que os torna judeus. Este gene recessivo também tem infestado a população Gentia através de procriação com judeus. A evidência deste gene reptiliano pode ser visto na doença rara e repugnante chamada arlequim ictiose. Aqui está um link para um vídeo do YouTube. Por favor, lembra-te, tu és sensível ou impressionável, este vídeo é extremamente hediondo. A mãe e/ou o seu parceiro obviamente carregavam este gene reptiliano.
Isto é o que pode acontecer quando alguém pratica mistura de raça com judeus (video do YouTube, aprox. 4 minutos)

A seguir, trechos de Nature’s Eternal Religion, por Ben Klassen:

“A natureza em sua infinita sabedoria, colocou a importância mais alta na sobrevivéncia das espécies. Em sua variedade abundante, a natureza trouxe à luz criaturas de todos os tipos, peixes e aves, animais e vegetais, insetos e bactérias. Algumas criaturas, como o cardinal e o sialia, são bonitas de se ver. Outros, como o peixe escorpião e a preguiça não são. Algumas criaturas são carnívoras. Outras são herbívoras. Alguns animais, como vacas, rimunam a grama dos prados. Outros, como o coiote, o lobo e o tigre são predadores. Outras criaturas, como baratas, mosquitos e larvas são parasitas. Cada criatura tem os seus meios de existéncia e sobrevivéncia e os seus meios de perpetuar suas espécies. Ao todo, a vontade de viver e perpetuar sua espécie é intensamente forte. Se assim não fosse, as espécies logo teriam morrido.

Na espécie humana, existe uma raça que destaca-se acima de todas as outros na intensidade e ferocidade de sua vontade de sobreviver, que é a raça judia. Como esta raça sobreviveu e permaneceu intacta através de todas as convulsões e revoltas na história em 5000 anos é algo notável a ser observado.

Considerando algumas das raças antigas da história registrada, como os babilónios, romanos, fenícios,os egípcios como uma raça, foram todas pelo ralo da história. Porém o judeu sobreviveu. Não só ele sobreviveu, mas ele tornou-se o proprietário de escravos de todas as outras raças do mundo, apesar de ter apenas números de uma pequena porcentagem da população mundial.

Considerando que a Raça Branca tem sido um construtor, explorador e criador de civilizações, de governos e nações, o judeu não tem sido nada disso. Pelo contrário, ele tem sido a antítese do homem branco nobre. Ao longo de sua história, que remonta há mais de 5000 anos, durante a qual manteve-se unido como uma raça, o judeu tem sido o parasita e predador nas costas daquelas nações que foram seus hóspedeiros dispostos. O judeu nunca foi um criador, nem o construtor, nem um productor, como os membros da Raça Branca. Pelo contrário, ele tem sido um destruidor de civilizações, um saqueador das nações, e um assassino que inventou a própria ideia de genocídio nos primeiros estágios de sua própria história. Tudo o que temos a fazer é ler o seu próprio Antigo Testamento para descobrir que, em página após página após página mataram, destruíram e saquearam uma tribo após a outra. Uma nação após a outra foi colocada à espada. Homem, mulher e criança.

A história da humanidade está repleta de guerras e conflitos, mas de todos os conflitos que se seguiram entre os diferentes países e as diferentes raças, existe apenas uma raça que despertou em si o antagonismo mais violento, não importa onde eles se estabeleceram – essa raça é a raça judia.

Por que é que a raça judia tem sobrevivido através de todas as turbuléncias em mais de 5000 anos de história, ao passo que as raças mais poderosas, como os romanos, pereceram? Será que é porque o judeu é firme? Nós achamos que o judeu seja firme, mas outras raças, como os romanos, eram ainda mais firmes e eles não sobreviveram. Será que é porque ele é um bom lutador? Não, ele é na verdade um covarde físico e em combate aberto, ele é certamente um dos guerreiros menores e mais covardes. Será que é porque ele é mais traiçoeiro e enganoso? Talvez, já que esta característica dele, sem dúvida, destaca-se de todos os outros povos. Mas esta não é a única razão pela qual ele sobreviveu tanto. A razão para a sua sobrevivéncia está em sua religião única. No início de sua história, os judeus perceberam o tremendo poder da religião como arma, uma arma que poderia unir sua própria raça, ou uma arma para desintegrar e destruir seus inimigos. Por milhares de anos eles têm capitalizado sobre este conhecimento ao máximo. De forma magistral, eles manipularam a religião para a sua vantagem com uma astúcia maligna que nenhum outro povo parece ter sequer suspeitado.

O tema central da religião judaica é o ódio, ódio contra os gentios, isto é, todas as outras raças. A outra faceta esmagadoramente poderosa da religião judaica é a lealdade racial, lealdade para com sua própria espécie. Considerando que, para os gentios brancos medianos, infelizmente, pouco importa com quem ele faça negócios, se é um outro homem branco ou não. O gentio branco mediano nem sequer está muito interessado em saber se a pessoa ao lado ou a pessoa que ele conhece é uma de sua própria raça. Mas, para um judeu, se ele está a fazer negócios com um judeu, a viver ao lado de um judeu, ou conhece um judeu, isso significa tudo.

O principal centro de poder da conspiração mundial judaica reside agora no Novo Mundo. De facto, em Nova Iorque está o maior centro de população judaica do mundo, e Nova Iorque é a força motriz fundamental financeira, não só dos Estados Unidos mas também do resto do mundo.”


Rabino admite que os judeus são um grupo alien
cujo objetivo é conquistar o mundo

“E também grandes diferenças existem acerca da alma. Dois tipos contrários de alma existem: a do não-judeu vem de três esferas satânicas, enquanto que a do judeu vem da santidade.”
– Rabino Schneerson

O racismo da religião judaica é baseado em uma coisa. Nas escrituras judaicas eles afirmam que os judeus têm um gene especial que lhes dá uma herança divina que receberam de Jeová, ao que os Goyim literalmente vêm a partir da semente de Satan e é toda uma outra espécie diferente da judaica. Agora, o gene judaico Cohen tem algo que nenhuma outra raça ou grupo étnico na Terra tem… DNA reptiliano.

Ver o artigo O Novo Sião

Como sabemos, os nossos Deuses são os Nórdicos que são uma raça de extraterrestres elevados, ao passo que os judeus, por suas próprias declarações e genes, vieram de outra raça extraterrestre, a reptiliana. Latiman chega a confessar que o judeu é uma raça alienígena que se infiltra em todas as raças para ruí-las a fim de que os judeus possam conquistar a Terra. Os judeus acreditam que quando isso acontecer, então o seu deus vai literalmente aterrissar no monte Sião e governar o mundo juntamente com o seu messias. Seus criadores extraterrestres vão simplesmente aterrissar e mostram-se e inspecionarem a colheita de Gentios diretamente.

-Sumo Sacerdote Don Danko

Como rabino Latiman diz a uma audiência judaica…

Vídeo: “A Nação Israelita”, pelo Rabino Michael Laitman

Trechos do vídeo:

Rabino Michael Laitman: Na verdade, não viemos daqui. Nós viemos de lá (ele aponta para cima). Isso é Israel em sua raiz. Então nós passamos por tal via que nos tomou pelo interior, que é chamada de “quebrar dos vasos”… O espalhar da alma coletiva…

Pergunta do público: Quem é o chefe de equipe que enviou a unidade de comando?

Rabino Michael Laitman: Ele. O criador. Israel é uma parte Dele…

Platéia: Então, este chefe enviou esta unidade de comandando?

Rabino Michael Laitman: Enviou-lhes da unidade de comando. Deu-lhes força. Deu-lhes as conexões. Tudo…

Mas… Eles não têm escolha. Ele quebrou-os. Ele espalhou-os. O que isso significa? A fim de colocá-los dentro da terra hostil, ele teve que dar-lhes a mesma forma que a terra hostil. É a forma como vamos para um país como uma equipa à paisana. E cada um de nós é exatamente igual ao povo daquela terra. Digamos que estamos a ser enviados a algum lugar agora – África, por exemplo. Então, vamos assumir a mesma forma e jeito das pessoas em África. As características, traços, abordagem, interesses, tudo. Exatamente o mesmo, dentro e fora… Tu sabes, é como um agente secreto. Ele está lá por um tempo, ninguém o toca, ele tem que começar a trabalhar, construir uma casa, família… Tudo está bem por anos e anos. Depois disso, ele começa a fazer alguma coisa. Ele recebe um lembrete que vem lá de fora. Tem que começar a trabalhar. Ele já havia esquecido sobre isso e, de repente, eles o chamam. Aqui é o seu comandante, isso e aquilo, tu sabes, como nos filmes… Isto é o que está acontecendo connosco. Temos que despertar. Temos que nos lembrar que temos uma missão especial. E realmente, este não é o nosso lar. Viemos de um lugar completamente diferente. Portanto, temos de encontrar os nossos amigos de acordo com este despertar. Recebeste um telefonema? Eu recebi um telefonema, ele recebeu um telefonema e assim por diante. E então nos reunimos como um grupo. Assim, a partir de todo o planeta, nós somos alienígenas vindos de uma galáxia diferente. Nós receber este raio de luz, este despertar individualmente. E agora nós estamos nos reunindo como grupos começando a preparar-nos para conquistar a Terra. Esta é a missão.

Platéia: Como podemos conquistá-la?

Rabino Michael Laitman: Como podemos conquistá-la? Também recebemos o método. Estamos a ser revelados tudo gradualmente. Nós estamos a ser ensinados. Não “sendo ensinado”, mas tipo treinados e ativados… Que coloca nossas mentes em movimento. Mas, na verdade, isso está vindo de nosso planeta original. E graças a essa força original natural que temos, vamos conquistar aqueles que vivem na Terra.

Por que estão me olhando assim? Não acreditam em mim? Estou a vos dizer seriamente! É ainda mais do que isso. Não é uma galáxia diferente, um Universo diferente. Uma dimensão completamente diferente. Isso é o que somos…

Platéia: Por que eles são alienígenas?

Rabino Michael Laitman: Eles são aliens porque… Eu não estou falando sobre a sua forma exterior, seu corpo ou seus órgãos, carne e osso. Estou falando sobre esse interior que não existe nas outras pessoas no mundo da Terra, mas apenas neles. É o software interno neles aqui, vindo do outro mundo…

O que estamos falando agora é a fase em que esses agentes secretos tem que ligarem-se e organizarem-se a fim de conquistar a Terra… Assim, nós viemos aqui, a fim de colocar as coisas em ordem, como em nosso planeta.

Ver também:
Israel começa a usar DNA para verificar a “judaicidade dos imigrantes”, mas pede a abertura das fronteiras para as Nações Brancas


VOLTAR PARA EXPONDO OS JUDEUS