Skip to content

Cristianismo e Comunismo: Gémeos Judeus

O trecho a seguir foi tirado de Nature’s Eternal Religion, por Ben Klassen

Nota: embora este artigo tenha sido escrito para um público branco, o comunismo judeu afecta a todos os gentios (não judeus), independentemente da raça, e este definitivamente vale a pena ler. O cristianismo é uma preparação para o comunismo, suas doutrinas são idênticas à filosofia comunista, e não há nada de espiritual nela. Todo o conhecimento oculto e poder que permitiria aos gentios lutarem na guerra espiritual (que os judeus têm usado contra nós por séculos) foram sistematicamente removidos. Depois de ser retirado à força pela Inquisição, esse poder esteve nas mãos dos principais rabinos judeus para lançar maldições, criar riqueza inimaginável e poder, e para usar à vontade contra os gentios. Em outras palavras, “YHVH” ou “Jeová” é na verdade o povo judeu, que tornar-se “Deus”.

O comunismo é outra fraternidade judaica que tolos gentios pensam que seja pela igualdade, paz e uma vida melhor. Nada poderia estar mais longe da realidade. Comunismo é um programa judaico de genocídio, assassinato em massa e escravidão para os gentios, independentemente da cor.

Citação do Talmude judaico:

Nidrasch Talpioth, p. 225-G: “Jeová criou o não judeu em forma humana para que o judeu não tenha de ser servido por animais. O não judeu é, portanto, um animal em forma humana, e está condenado a servir o judeu dia e de noite.”

Cristianismo e comunismo: gémeos judeus
de Nature’s Eternal Religion, por Ben Klassen

Para ouvir os Konservadores Kosher dizê-lo, uma feroz batalha intensiva está a ser travada hoje entre as forças do mal do comunismo e as forças sagradas do cristianismo. Somos levados a acreditar que é isso tudo seja uma batalha entre o bem e o mal. Somos informados que essas duas forças são a própria essência de dois pólos de oposição em conflito completo e bilateral. Uma batalha falsa. O fato é que ambos são produtos degenerados da mente coletiva judaica, destinados a fazer a mesma coisa para destruir a Raça Branca. Se dermos uma olhada mais de perto nessas duas forças do mal que têm incomodado e atormentado as mentes da Raça Branca por todos esses anos, nós percebemos que eles não estejam em lados opostos afinal de contas. Nós percebemos que eles estão bem do lado da comunidade judaica internacional, a fazer o trabalho que eles foram projetados para fazer, a saber: confundir e ludibriar a inteligência do homem branco para que ele mesmo ajude os judeus na destruição da Raça Branca.

Na comparação dos dois descobrimos que eles são muito semelhantes, e não opostos. Na verdade, há tantas semelhanças entre os dois programas e na filosofia destes dois credos que a mão do mesmo autor pode ser facilmente detectada. Esse o autor é a rede judaica internacional. Eles e só eles escreveram tanto o credo do cristianismo tanto quanto o credo do comunismo.

Tanto o comunismo quanto o cristianismo pregam contra o materialismo. O comunismo designa as forças produtivas e criativas de nossa sociedade, à qual devemos em grande parte como os benefícios de uma civilização branca produtiva, como “burguêsa”. Em seguida, ele ataca com uma fúria sem igual à burguesia e diz-nos uma e outra vez que eles devem ser destruídos. Em vez de dar crédito onde o crédito é devido, dá calunia e vilipendia aos elementos construtivos e produtivos, ou seja, os burgueses ou capitalistas, como o mal supremo. O cristianismo nos diz basicamente a mesma coisa. Ele nos diz que será mais difícil para um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico ir para os Céus. Ele nos diz que devemos “vender tudo o que temos e dálo-o aos pobres”, uma peça insidiosa de conselhos que, se seguidos, faz de todos nós um bando de vagabundos errantes e mendigos. Isso certamente causaria o colapso da nossa sociedade. O cristianismo nos diz ainda “não ajunteis tesouros na terra, mas ajuntai tesouros nos céus”. Ao todo, a implicação é clara. Não acumular para si mesmo algumas das coisas boas da vida. Se, através do trabalho duro, já conseguiste acumular alguma riqueza, livra-te dela, doe-a aos pobres, acima de tudo, doe-a à Igreja, eles a levrão com prazer. O resultado líquido destes fantasticamente maus conselhos é claro, é que será mais fácil passa-la para as mãos dos judeus, que não assinam a tal tolice. Eles esperam fazer-nos de bobos, sabendo muito bem o velho ditado: “um tolo e seu dinheiro logo se separaram”, isso é muito verdadeiro.

O outro lado da moeda é que os líderes de ambos o cristianismo e o comunismo em si são fantasticamente materialistas. Quando olhamos para a Igreja Católica através dos tempos, vemos que enquanto ela estava extraindo até o último bocado da viúva pobre, a própria Igreja estava a recolher e acumular ouro, prata e pedras preciosas em quantidades inacreditáveis. Não só tomou e recolheu todo o ouro, prata e pedras preciosas que poderia, mas adquiriu grandes quantidades de bens imóveis, e a Igreja Católica hoje, é sem dúvida a instituição mais fantasticamente rica sobre a face da terra. Mesmo durante a Idade das Trevas, quando a pobreza era generalizada, principalmente por causa de cristianismo em si, encontramos estas catedrais enormes e fabulosamente ricas, construídas no meio da privação extrema da população, com altares e absides de ouro ornamentado com abóbadas, colunas e paredes decoradas. Basílicas, catedrais, abadias, baptistérios, mosteiros, conventos e igrejas magníficas foram construídos. Praticamente todos esses eram tão abastados e grandes em comparação com o ambiente pobre daqueles tempos, que suntuosamente destacaram-se como o principal repositório de toda riqueza material – ouro, prata e suntuosidade arquitetônica – tanto de sua época e como de sua localização geográfica. A igreja nunca se preocupou em explicar por que foi tão necessário ter essa riqueza pródiga em exposição para o fiél adorador, que foi informado uma e outra vez que ele era mau por “acumular tesouros”. Até os dias de hoje, as igrejas são construídas para serem berrantes, extravagantes e bizarras. O dinheiro parece não ser nenhum objeto.

O Vaticano, aquela cidadela de liderança “espiritual”, que também prega “não acumuleis tesouros na terra”, não pratica o que prega. Pelo contrário, o que ele pratica é realmente o cúmulo da hipocrisia, e a antítese da espiritualidade. Ele vai com tudo para ajuntar tesouros na Terra. Ele acumulou em si mesmo uma poupança de 5,6 mil milhões de dólares em acções por si só, para não mencionar todos os seus imóveis, tesouros de arte e outros objetos de valor. Goza de uma renda anual de 1,5 mil milhões de dólares, em grande parte, sem dúvida coletados até o “último bocado da viúva”, bem como as suas vastas propriedades. As instituições religiosas dos Estados Unidos como um todo, estão avaliadas em 102 mil milhões de dólares. Em 1969, dos 17,6 mil milhões de dólares Estados Unidos de indivíduos que contribuíram para a caridade, 45 por cento, ou seja, 7,9 mil milhões de dólares foram destinados para fins religiosos.
Muito materialista para uma religião que “evita” tesouros terrenos e prega “meu reino não é deste mundo”. Da mesma forma, os chefes comunistas na Rússia, praticamente todos judeus, acumularam para si mesmos todas as riquezas do campo. Enquanto o trabalhador escravo comunista está labutando 12 horas por dia e em seguida volta para casa com um pequeno apartamento sujo e lotado compartilhado com outras famílias, seus chefes judeus têm opulentos palácios espalhados por todo o campo. Eles dirigem o melhor dos carros com motorista, é claro, e comem o melhor dos alimentos. Não só isso, eles têm o melhor de aviões à sua disposição para voar para onde bem entenderem para governar os seus trabalhadores escravos. Estes chefes comunistas judeus geralmente também têm à sua disposição roupas e alfaiates importados e uma galáxia de servos. Quando eles precisam de um descanso de gerir o seu império de escravos, eles têm vilas privadas no Mar Negro ou outros locais de férias de escolha à disposição deles. E assim vai ao Paraíso dos Trabalhadores Proletários.

Vamos passar para a próxima semelhança. Tanto o comunismo quanto o cristianismo fazem uso extensivo de armas de terror, tonto psicológicas quanto reais. Sem dúvida, o conceito mais macabro e cruel já inventado pela mente depravada e coletiva dos judeus é o conceito de inferno. Tu consegues pensar em algo mais terrível do que colocar milhões de pessoas em confinamento em uma câmara de tortura superaquecida e depois queimá-los para todo o sempre, mesmo sem a misericórdia de mitigação de permitir que eles morram? Com este pedaço de “boas novas”, o cristianismo começou a conquistar as mentes de suas vítimas supersticiosas e irracionais. O fato de tal câmara de tortura ser inexistente não diminui em nada o fato de que fosse uma ameaça real para aqueles que foram levados a acreditar que era real. Para uma criança, por exemplo, se lhes disser que o Lobo Mau vai pegá-lo, e ele inocentemente em acreditar em ti, então a ameaça é tão real como se um Lobo Mau realmente existisse. E assim é com o inferno. Para aquelas pessoas que foram convencidas de que existe essa ameaça terrível, é tão real como se ela existisse.

No entanto, o cristianismo não se atém ao uso de terror psicológico por si só. Aqueles que se desviaram da linha oficial da igreja foram declarados como hereges e imediatamente queimados na fogueira. A ideia de usar o fogo de uma forma ou outra, como um meio de torturar seus adversários, parece ter obcecado as mentes desses cristãos “amorosos”. De acordo com o famoso Espelho dos Mártires da van Braght, cerca de 33 mil cristãos foram condenados à morte por outros chamados cristãos por meio da queima na fogueira, um tipo de vingança cinzenta. Entre meus antepassados sozinhos (que eram da fé menonita) cerca de 2 mil mártires foram queimados na fogueira por esses cristãos sempre amorosos. Uma característica notável sobre esse negócio de queima é que sempre foram pessoas brancas que estavam a ser queimadas. Eu nunca ao menos ouvi falar de um judeu que tenha sido queimado na fogueira por não crer precisamente nas demandas especificadas do judaísmo, mesmo que ao todo eles não acreditassem em Cristo. Cremação na fogueira não foi o único meio de tortura e morte usado por esses cristãos doadores de amor, que estavam tão ansiosos em espalhar a sua mensagem amorosa.

Durante a Inquisição, e outras vezes, todos os requintes bestiais de tortura que a mente depravada humana pudesse conceber foi usado para extorquir confissões e chicotear os infiéis ou hereges a ficarem na linha. O parafuso no polegar, afogamento, espartilho de ferro, esquartejamento, arrancamento dos olhos com ferros em brasa, o rack (rasgo lentamente dos membros do corpo por meio de alongamento) foram apenas alguns dos meios utilizados por estes sempre amorosos cristãos a se espalhar seu evangelho de amor.

Quando os comunistas chegaram e usaram tortura física como um dos seus instrumentos de conquista, eles tinham muito pouco a inventar, pois os cristãos já haviam utilizado antes deles. E como podia ser esperado, uma vez que foi a vilipendia judaica que projetou os meios de tortura para ambos. A Igreja nem hesitou em usar guerra em atacado para demolir nações inteiras que não se submetessem ao seu ditado religioso. De fato, durante o século desesseis, desessete e dezoito, as principais causas da guerra foram dissensões religiosas em que um grupo religioso procurou forçar suas crenças sobre os seus opostos pela guerra e abate. O registro comunista de usar terror, tanto psicológico quanto físico, é tão recente, tão difundido e tão conhecido que quase não precisamos revê-lo aqui.

Só na Rússia, o regime comunista judeu usou terror em uma escala antes desconhecida nos anais da história. A fim de exterminar o melhor da Raça Branca na Rússia, ou seja, os russos brancos, os judeus massacrados cerca de 20 mil. O terror, as mortes, os assassinatos que estão a acontecer na Rússia de hoje desafiam a imaginação da mente do homem branco mediano. Em qualquer caso, tanto o comunismo quanto o cristianismo usaram, e estão a usar, terror extensivamente, tanto físico quanto psicológico para subjugar suas vítimas. Considerando que os cristãos se destacaram em terror psicológico, os comunistas se destacam em terror físico. Mas em ambos os casos, os judeus eram peritos no uso de qualquer tipo de terror melhor realizasse seus objetivos.

Tanto o comunismo quanto o cristianismo tem um livro que, presumivelmente, estabelece o credo de seu movimento. O cristianismo tem a Bíblia judaica, que foi escrito por judeus, principalmente sobre os judeus, com a finalidade de unir a raça judia e para a destruição da Raça Branca. A Bíblia comunista é Das Kapital e o Manifesto do Partido Comunista, ambos escritos por Karl Marx em conjunto com Friedrich Engels, os dois eram judeus. Ambas as crenças judaicas, o comunismo e o cristianismo, são altamente destrutivos, e quando seguidas, destroem o tecido da sociedade que foi vítima deles. O cristianismo ensina a maldade do homem, que ele não é bom, pecador, indigno, que ele é nascido em pecado e que seu instinto é mau. O comunismo prega que o elemento produtivo, criativo da nossa sociedade, ou seja, o “burguês” como eles chamam, é podre e mal e deve ser destruído. Pode-se dizer com segurança que qualquer sociedade sólida e saudável que virou-se quer para cumprir o cristianismo e praticar todos os seus princípios, ou de qualquer sociedade que praticou o comunismo puro, logo destruiu a si mesma. Mais uma vez queremos vigorosamente salientar que ao contrário do que estes Konservadores Kosher estão sempre a dizer-nos, o comunismo não é por nenhum meio da imaginação o mesmo que socialismo ou coletivismo. Estes últimos são elementos construtivos básicos de qualquer sociedade saudável, mas o comunismo é um campo de trabalho escravo judaico indisfarçável. Desde que eu fui neste assunto em detalhe considerável em outro capítulo, não haverá mais espaço para rever essa ideia aqui. Tanto o comunismo quanto o cristianismo pregam a igualdade do homem. O cristianismo prega que somos todos iguais aos olhos do Senhor, ao passo que os comunistas pregam que todos nós devemos ser iguais na sociedade comunista. O último argumenta que a única razão pela qual não somos iguais é inteiramente devido ao meio ambiente, e a pequena peculiaridade da natureza que eles vão corrigir. No momento em que processarem a todos nós em um ambiente igual, eles nos garantem que vão ter estabilizado a todos nós até sermos todos iguais.

Só será verdadeiro que a Raça Branca será nivelada para baixo, onde eles serão todos iguais a uma horda de escravos miseráveis, enquanto que cada judeu, por outro lado, será um rei.

Não só o comunismo e cristianismo pregam a igualdade dos indivíduos como também pregam a igualdade das raças, outra mentira viciosa jogada na face da natureza. Ambos os credos têm um dogma muito complicado que é bastante nebuloso e confuso, para não dizer contraditório em si mesmo. Ambos, portanto, criaram uma hierarquia que interpreta o que o dogma correto do dia é e todo mundo está aos pés na linha ou sofre as consequências de uma estrutura de poder enraizada. Ambos o cristianismo e o comunismo tiveram suas cismas. No caso do cristianismo, os seguidores que diferiam foram chamados hereges e, no caso do comunismo, aqueles que se desviavam da linha oficial são chamados dissidentes. No caso do cristianismo, o Grande Cisma, é claro, foi durante a Reforma, quando o segmento protestante desenvolveu e rompeu com a Igreja Católica. Ele então passou a dividir e estilhaçar em mil direcções diferentes a partir daí em diante, tudo em detrimento e destruição da Raça Branca. A primeira grande divisão, é claro, foi quando o Império Bizantino dividiu a partir da metade romana ou ocidental.

Dentre os comunistas, houve uma série de cismas, como os mencheviques e os bolcheviques, e uma série de outras divisões, antes dos comunistas chegarem ao poder. Depois que chegaram ao poder, havia os comunistas stalinistas e os comunistas trotskistas, estes últimos a serem vigorosamente perseguidos e eliminados das fileiras. Agora nós provavelmente temos a asa Mao do Partido Comunista e por um tempo tivemos os dissidentes Tito, e assim por diante. Em qualquer caso, a ideia principal do cristianismo e do comunismo é a mesma: em cima de um dogma confuso fica impossível uma hierarquia poderosa apertada que determina e interpreta o que a linha de seus seguidores deva ser, e terror, morte e represália são as consequências para aqueles que se atrevem a pensar por si mesmos. Não é de todo surpreendente que o arqui-inimigo de ambos os credos judeus é Adolf Hitler, porque ele se atreveu a sair com uma estrutura social saudável, natural que encarna os princípios que estavam em harmonia com as leis naturais e com os instintos saudáveis para a preservação da Raça Branca. Nós, portanto, encontramos a imprensa judaica, a imprensa comunista, e o cristianismo, todos em coro a denunciar Adolf Hitler e a nos dizer que terrível homem que ele era. Todos perpetram e repetem uma e outra vez as mesmas mentiras judaicas sobre Hitler que os judeus se têm devaneiado e prestados aos seus patetas bajuladores. As semelhanças entre estes credos vão adiante. Ambos pregam a destruição da sociedade atual. Eles especialmente zeram sobre a destruição e degradação dos elementos mais criativos e produtivos da sociedade como um todo. Ambos denunciam e vilipendiam os melhores elementos da sociedade estabelecida e alegram-se com as falhas e fraquezas humanas, a afirmar demonstrar a veracidade de sua teoria comunista-cristã.

Os judeus, que são os autores do comunismo, vislumbram a sede das Nações Unidas, para finalmente descansar em Israel e em particular, em Jerusalém. O cristianismo também mantém-se continuamente a falar sobre Sião, a Nova Jerusalém, e olham a Jerusalém como a Terra Santa, sua origem e sede espiritual. Ambos os credos judaicos seguem consistentemente políticas que são desastrosas para o bem-estar da Raça Branca. Eu já dei consideravelmente vários detalhes sobre os efeitos catastróficos do cristianismo sobre a grande civilização romana branca. Eu também apontei anteriormente que os judeus na Rússia comunista mataram 20 milhões dos melhor russos brancos. No entanto, os programas e as políticas de ambos os credos vão muito mais longe do que esas duas grandes catástrofes da história e apontar o quão desastrosos os efeitos de tanto o cristianismo quanto o comunismo foram sobre as fortunas da Raça Branca seria necessário um volume inteiro sozinho. Eu acredito que temos espalhados por todo este livro uma massa de exemplos que são desnecessários repetirem-los novamente aqui.

Outra semelhança que se manifesta em ambos os credos judaicos, é que ambos têm uma capacidade incurável em levar adiante uma profusão de palavreado que é extremamente vaga e obscurecida com confusão. Não é só o palavreado profuso, mas extremamente carente de substância. Este é um velho truque judaico para confundir e ludibriar as mentes de sua oposição, o último é enganado em pensar que toda essa vasta colecção de palavras deva ter algum significado maior além de sua compreensão.

Para continuar a destruir e derrotar a oposição, ambos os credos têm desenvolvido a um alto estado a arte de atirar cruéis palavras e palavras fr ódio em seus adversários. Os cristãos desenvolveram tais palavras de ódio como ateu, pagão, herege, apóstata, blasfemo, pecador e anticristo. Os comunistas têm desenvolvido todo um estábulo de palavras semelhantes, e algumass delas são: fascista, nazi, racista, preconceituoso, intolerante e antissemita. Sem que ninguém realmente pare para analisar o que cada uma dessas palavras significa e por que elas devam ser consideradas como más, estas palavras têm sido desenvolvidas para um estado elevado de mal implícito, de modo que apenas se limita a chamar destes nomes, tu não precisas realmente debater as questões, mas sem piedade derrubar seus oponentes, sem recorrer a qualquer debate ou raciocínio qualquer. Se as semelhanças entre o cristianismo e o comunismo parecem bastante impressionantes, há uma razão muito boa para a sua ideologia paralela. Essa razão é, claro, ambos foram inventados pela estrutura do poder judaico pelo objetivo comum de destruir a Raça Branca.

Infelizmente, até esse ponto, ambas as suas ideologias foram devastadoramente eficazes. É parcialmente o propósito deste livro e do Movimento Criatividade, enfrentar esse ataque devastador sobre a mente da Raça Branca e expor essas ideologias judaicas gémeas pelo que elas são. Além disso, estou firmemente convencido, e é a minha conclusão medida, que os judeus nunca poderiam fazer o comunismo moderno impingido em um longo sofrimento da humanidade, se não tivessem primeiro o suavizado, transtornado e confundido o intelecto da Raça Branca com as armadilhas falaciosas do cristianismo. É portanto o outro objetivo da Criatividade, de ajudar a endireitar o pensamento confuso da Raça Branca, para onde eles então possam expurgar esses dois flagelos judeus gémeos da face deste planeta.

VOLTAR PARA SOL NEGRO 666