Skip to content

A Verdade Sobre o Talmude

Pelo Sumo Sacerdote Jake Carlson

“Jesus Cristo”, “cristãos” e “cristianismo” quase nunca são mencionados no Talmude, apesar dos erros de tradução que estão disponíveis para os cristãos iludidos que acreditam que o Talmude é uma conspiração contra Cristo e o cristianismo. A verdade é que o Talmude é uma conspiração, mas, é uma conspiração contra os povos pagãos (gentio) do mundo. Apesar do barulho que os cristãos fizeram durante séculos sobre passagens do Talmude que supostamente blasfemam Cristo, o personagem Jesus de Nazaré é supostamente mencionado apenas uma vez nas edições posteriores do Talmude, e ele é citado: “Não vim para destruir a lei de Moisés.” (Mateus 5:17)

Não há nada de anticristão sobre Cristo no Talmude. No entanto, os membros sem noção da fé cristã insistem em que o Talmude contenha numerosas referências blasfemas a Jesus, e a “religião” cristã. A verdade é que “Jesus” e “Yeshua” eram nomes judeus muito comuns durante a época em que a vida fictícia de Cristo deveria ter acontecido. Algumas fontes dizem que as referências a um homem chamado “Jesus” ou “Yeshua” já existia em torno de 100 aC, que segundo a tradição cristã, não é a data de nascimento do Jesus dos evangelhos.

Muitos judeus não acreditam em Jesus Cristo, porque eles sabem que ele é fictício e que eles inventaram esse personagem judaico para os gentios rastejarem como inúteis “pecadores” e para prepará-los para a vinda do Messias oficial judeu que une todos dos judeus no mundo, traz o julgamento e condenação sobre os povos Arianos e escraviza o resto da humanidade Gentia.

Uma vez que os judeus inventaram a “religião” cristã, roubando dos Arianos pagãos da época por todo o mundo, o Cristo do cristianismo, embora judeu por raça, recebeu falsas feições gentias a fim de causar confusão no inconsciente coletivo dos gentios. Hoje, há judeus que afirmam estar objetivados a “destruir” o cristianismo e substituí-lo com o comunismo global. Se houver mesmo o menor grão de verdade na afirmação de que os judeus querem parar de promover e, na verdade, “destruir” o cristianismo, seria apenas por causa que os elementos pagãos que o cristianismo roubou sairam de uso e uma teocracia muito mais drástica agora é necessária. O objetivo por trás da implementação judaica do comunismo global é realizar a remoção final de todo o conhecimento espiritual que estava contido em todas as religiões pagãs (gentias) originais. O cristianismo nunca foi nada mais do que um projeto para comunismo global (os judeus têm como alvo os Estados Unidos da América para o comunismo judaico, e os EUA tem mais judeus do que em qualquer outro lugar. Se nossos povos gentios não acordarem, todos estarão em grave perigo sem nenhuma esperança de sobrevivência).

Uma facção dos judeus está fingindo ser contra a “trindade” cristã, que na verdade é uma pseudo-trindade judaica que consiste em “Deus Pai”, “Deus Filho”, e “Deus, o Espírito Santo”. Outra facção de judeus vai admitir que um cristão que adora esta “Trindade” não pode ser condenado à morte por “idolatria”, porque a versão judaica das “três-pessoas-em-um-deus” não é “idolatria”, pois esses cristãos gentios ainda estão adorando o deus judeu.

No livro do Apocalipse na Bíblia cristã, Cristo admite que ele seja Yavé/Jeová. “Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso” (Apocalipse 1:8). Jesus disse que ele é o “deus” tanto do Antigo quando do Novo Testamento. Apesar da forma como certas facções da comunidade judaica odeiam ser lembrados de que Jesus é um judeu, eles são pró-cristianismo para os gentios, pois o cristianismo foi criado para substituir Satan e o paganismo. Os judeus inventaram a “religião” cristã durante um tempo antes de o paganismo tornar-se politicamente correto. Paganismo era sinônimo de satanismo, e para aqueles que podem enchergar, os dois ainda são idênticos. Wicca e neopaganismo são falsificações kosher e corrupções do paganismo real, que é de Satan.

O Yeshua/Jesus Cristo da Bíblia cristã não é claramente o “Jesus/Yeshu” que é “ridicularizado” no Talmude. O contrário não se sustenta, já que não são paralelos relacionados suficientes entre Yeshu e Cristo. O Novo Testamento cristão é tão judaico quanto a Torá e o Talmude. Eu li livros e página de web após página de web que se queixam da “judaização do cristianismo”, como se o cristianismo fosse gentio e não judaico. Os judeus inventaram o cristianismo PARA os gentios e ninguém está isento da verdade que cada “camada” da cristandade vem dos judeus. Adolf Hitler fez a observação de que “o cristianismo é a maior mentira que os judeus já contaram à humanidade.” (1)

O instigador judeu do cristianismo, Paulo de Tarso, afirma o seguinte sobre os judeus e Jesus/Yeshua: “O povo de Deus (os judeus) são santificados pelo nome de Yeshua e o poder do Espírito Santo”. (2)

Espero que o povo judeu e alguns cristãos não-judeus “arranquem os cabelos” sobre isso, mas devemos examinar duas supostas referências importantes, codificadas sobre “Jesus” no Talmude, a fim de provar o que eu disse até agora.

1) Sinédrio 106b “Um sectário disse a R. Chanina: tu sabes quantos anos Balaão tinha? (R. Chanina) respondeu: Não está escrito. No entanto, uma vez que (Salmos 55:23) diz ‘homens de sangue e de fraude não viverão metade dos seus dias; mas eu em ti confiarei’, ele tinha 33 ou 34. (O herege) disse: Tu disses bem, eu tenho visto a crônica de Balaão e ela disse: “em 33 anos Balaão, o coxo, foi morto por Pinchas, o ladrão.”

Aqui está o comentário de um judeu sobre esta passagem:

…“É impossível imaginar que um cristão iria perguntar a um judeu quantos anos Jesus tinha, e chamar aquela crônica de ‘Evangelho de Balaão’ ou de Pôncio Pilatos, que não é mencionada sequer uma vez em toda a literatura rabínica, deva ser referido como Pinchas, o ladrão. O sectária referido era apenas um membro de uma seita gnóstica que estava testando se Chanina poderia responder a uma pergunta que não foi respondida na Torá. A Crônica de Balaão era um livro apócrifo sobre Balaão. Estes livros adotavam muitas vezes uma atitude desfavorável aos patriarcas e aos profetas, e era possível que Pinchas da Bíblia fosse chamado de Pinchas, o ladrão.” (3)

2) Talmude Gittin 56b-57a “(Onkelos Bar Kalonikus) chamado Balaão dos mortos (Onkelos) perguntou: Quem é homenageado nesse mundo? (Balaão) respondeu: Israel. (Onkelos) perguntou: Que tal juntar a eles? (Balaão) respondeu: (Deut. 23:6) “Não lhes procurarás nem paz nem bem em todos os teus dias para sempre.” (Onkelos) perguntou: Qual é a tua punição? (Balaão) respondeu: Sêmen fervente.

(Onkelos) chamou Yeshu dos mortos. (Onkelos) perguntou: Quem é homenageado nesse mundo? (Yeshu) respondeu: Israel. (Onkelos) perguntou: Que tal juntar a eles? (Yeshu) respondeu: Procure o seu bem. Não busque o seu mau. Quem tocá-los é como se tocsse a pupila do olho. (Onkelos) perguntou: Qual é a sua punição? (Yeshu) respondeu: Excrementos ferventes. Como o mastro disse: O que escarnece as palavras dos sábios é punido em excrementos ferventes.”

Aqui está o comentário judaico para esta passagem:

“Aqui nós vemos a história de um famoso convertido, Onkelos, que antes da conversão, usou magia negra para trazer vilões famosos da história e perguntar-lhes se sua maldade salvou-os no mundo por vir. Em ambos os casos (há um terceiro caso que Onkelos também chama Tito) o pecador está sendo terrivelmente punido na vida após a morte, enquanto Israel está sendo recompensada. Presumivelmente, isso ajudou a convencer Onkelos a se converter ao judaísmo.

Como já explicado, Yeshu não é o Jesus do Novo Testamento. Ele é mais provável um proeminente sectário do início do século 1 dC, que desviou-se da tradição rabínica e criou sua própria religião combinando paganismo helenístico com judaísmo. Enquanto Yeshu pode ser o proto-Jesus, alguns estudiosos apontam como inspirar os primeiros cristãos, ele definitivamente não é o homem que foi crucificado em Jerusalém no ano 33 dC.” (4)

O “Yeshu”, que é amaldiçoado no Talmude, poderia ter sido um deus pagão que os judeus roubaram para depois inventar o mito de Cristo. Existem vários paralelos entre a vida de nosso Deus Ariano Dioníso (Satan) e o judeu fictício falsificado Jesus Cristo.

“Portanto, o Talmude é inútil como uma fonte não-cristã para demonstrar a historicidade do conto do evangelho e não muito adiciona material aceitável para a nossa busca para descobrir quem era Jesus.” (5)

“Na história de Dioníso, pode ser encontrada não só essas várias correspondências significativas para personagens bíblicos e do mito de Cristo, mas também uma explicação aparente do conto de Jesus ben Pandira, Pandera ou Panthera, que supostamente representava a muitos o ‘Jesus histórico’. Este Jesus ou Josué ben Pandira é encontrado apenas no Talmude. Na história de Dioníso ou Baco, o Deus renasce como um dos gêmeos amamentados por uma pantera fêmea, daí o seu título de ‘filho de uma pantera’, o mesmo que ‘ben Panthera’, como o ‘Deus de Nysa’, Dioníso saiu do Egito e seu apelido era IHE, ou IES em latim, daí “Jesus ben Panthera”, que pode ter sido uma referência a Dioníso. ‘Jesus ben Pandira’ não é o Jesus do evangelho.” (6)

Conclusão: Os judeus roubaram de nossa cultura ariana e corromperam as mensagens espirituais por trás de nossos ensinos pagãos. O cristianismo está perto de ter concluído a sua tarefa de remover conhecimento espiritual Pagan e substituindo-os por SCUM judaica. Com o pouco conhecimento espiritual continua a ser para aqueles que são sensíveis o suficiente para encontrar esse conhecimento, os judeus são não jogar jogos. Eles querem fazer cumprir as leis de Noé (Global comunismo) e até mesmo matar os gentios que serviram os judeus também. Acorda povo!

Referências:
(1) http://usminc.org/hitler.html
(2) The Noahide Laws: Understanding Humanity’s Obligation To God, por Joyce J. Toney
(3) http://talmud.faithweb.com/articles/jesus.html
(4) Ibid
(5) Who Was Jesus? Fingerprints of the Christ, por D.M. Murdock
(6) The Suns of God, por Acharya S.

VOLTAR PARA TERCEIRO REICH E O CRISTIANISMO

VOLTAR PARA SOL NEGRO 666